Silvia Cintra + Box4

Mayana Redin abre sua primeira individual na galeria. Veja fotos!22 Nov 2016

Na quinta-feira, 17, a entrada da Silvia Cintra = Box 4 foi coberta com uma cortina preta, parte da ambientação da primeira individual da artista MAyana Redin na galeria, "Arquvio Escuro". A exposição fica em cartaz até 17 de dezembro e você pode ver um pouco do clima da abertura aqui.


Confira o release da mostra: 
""Arquivo Escuro", a primeira individual de Mayana na galeria, conta com uma seleção de trabalhos feitos entre 2015 e 2016. Através de objetos, vídeos, fotografias e instalação a artista propõe ao espectador uma experiência de escuridão, seja a partir de imagens apropriadas ou construídas.

A pesquisa atual de Mayana passa pela cosmologia e as possíveis relações com a experiência do cotidiano. Em trabalhos como "Sol" e "Canhão", vídeos de fenômenos e elementos celestes, como um sol filmado de um telescópio profissional e um eclipse, são veiculados em televisões de tubo que servem como fontes de emissão de luz artificial. Já em "Dobra" e "Pão", papéis e livros inteiros de ciência e astronomia viram suporte de ações simples, como dobrar e amassar, usando argila e massa de pão como matéria que age sobre tais objetos. O trabalho "Cosmonauta e Astronauta" justapõe as biografias foto-documentadas de duas mulheres que viajaram para o espaço sideral entre os anos 60 e 80. Através de duas projeções simultâneas de slides, vemos claramente como essas imagens foram “produzidas” para construir uma idéia de heroísmo e progresso a partir da transformação desses corpos individuais em símbolos ideológicos, mesmo com intervalo de duas décadas entre elas e tendo paradeiros diferentes em suas missões. 

"Arquivo Escuro", a obra que dá título à mostra, é uma projeção em tempo real de um arquivo de texto de computador que vai sendo escurecido através de uma tecla apertada ininterruptamente, construindo assim um grande arquivo negro a ser impresso no fim do período da exposição para ser transformado em um livro.

Mayana Redin nasceu em Campinas em 1984 e vive no Rio de Janeiro, onde também é professora de artes visuais da Universidade Cândido Mendes. Mayana participou da 8º Bienal do Mercosul e fez parte da mostra Imagine Brazil que passou pela Noruega, França, Qatar, Canadá e terminou no Tomie Ohtake em São Paulo. Em 2015 Mayana foi a vencedora do prêmio ICCo/Sp Arte e como parte da premiação participou da residência FLORA Ars+Natura, na Colômbia."

Notícia Anterior Próxima Notícia