Artista

Voltar para a grid

Cinthia Marcelle

1974 —

Capítulo 7, 2014
Capítulo 7,
Fotografia – Ed. única, 28x22cm
Capa metal, 2003 - 20015
Capa metal,
fotografia, 50x75cm
DX (série Da ordem do dia), 2013
DX (série Da ordem do dia),
Durex sobre papel, Ed. única, 29x29cm
Reino Numeral, 2005
Reino Numeral,
fotografia, 48x40cm
,
,
, xcm
,
,
, xcm
C III, 2015
C III,
Tinta acrílica sobre tecido e cadarço sobre ferragens 130x35x70cm (bandeiras) e 105x52.5cm (ferragens)
,
,
, xcm
Capa morada 2, 2003
Capa morada 2,
Fotografia, 80x50cm
Capa morada 3, 2003
Capa morada 3,
Fotografia, 80x50cm
Impacto Ambiental, 2013
Impacto Ambiental,
Fotografia, 80x80cm
,
,
, xcm
,
,
, xcm
76 - Sabará - Série Museu de Tudo, 2005
76 - Sabará - Série Museu de Tudo,
Caneta esferográfica sobre papel, 38x29cm
188 - Eletrotecnicos - Série Museu de Tudo, 2004
188 - Eletrotecnicos - Série Museu de Tudo,
Caneta esferográfica sobre papel, 38x29cm
Reino Numeral, 2005
Reino Numeral,
Fotografia, 40x48cm


Realizou projetos individuais na Galeria Box4 (2007), Ikon Gallery (2008), Sprovieri Progetti (2009). Em 2009, recebeu o prêmio anual Gasworks/TrAIN, residência em Londres que resultou em uma exposição no Camberwell College of Arts.
Em 2010 participa da 29ª Bienal de São Paulo.

Foi uma dos finalistas do Prêmio PIPA e vencedora do Future Generation Art Prize em 2010.

Cinthia também participou de individuais na América do Sul e na Europa e recentemente foi comissionada pelo Projects 105 para apresentar Educação pela Pedra, novo site-specific para a Duplex Gallery do MoMA PS1, em Nova York (2016). Participou também da 11ª Bienal do Sharjah (2015) com At the Risk of the Real e apresentou sua instalação Dust Never Sleeps na Secession, em Vienna (2014). Em 2006, recebeu o International Prize for Performance por seu trabalho Gray Demonstration. Em 2017, foi a artista selecionada para representar o Brasil na Bienal de Veneza com a instalação Chão de caça, especialmente comissionada para a ocasião.

Outros artistas