Artista

Voltar para a grid

Laercio Redondo

1967 —

Fachada Dispositivo 15, 2014
Fachada Dispositivo 15,
Monotipia - Madeira, plywood, vidro e serigrafia, 60x100cm
After Giotto 8, 2016
After Giotto 8,
Silkscreen sobre feltro, 60x100cm
After Giotto 2, 2016
After Giotto 2,
Silkscreen sobre feltro, 70x100cm
After Giotto 6, 2016
After Giotto 6,
Silkscreen sobre feltro, 70x100cm
Sem título - série Desconstruindo Niemeyer, 2013
Sem título - série Desconstruindo Niemeyer,
Serigrafia e acrílica sobre compensado de madeira, 90x75cm
Sem título - série Lembrança de Brasília, 2013
Sem título - série Lembrança de Brasília,
Acrílica e serigrafia sobre compensado de madeira, 70x100x2cm
Sem título - série Lembrança de Brasília, 2013
Sem título - série Lembrança de Brasília,
Acrílica e serigrafia sobre compensado de madeira, 70x100x2cm
Discurso amoroso, 2017
Discurso amoroso,
Impressão em enamel 17x25cm (cada)
Carta em Alemão 1942 (Cais de Naxos 1942), 2017
Carta em Alemão 1942 (Cais de Naxos 1942),
Impressão em seda, impressaão em vidro e xerox, 144x102.5cm
Bandeiras para territórios precários - Os ribeirinhos e Os sem terra, 2017
Bandeiras para territórios precários - Os ribeirinhos e Os sem terra,
Acrílica sobre papel 26x20cm e 23x29 cm
Bandeiras para territórios precários - Os amantes e Os animais, 2017
Bandeiras para territórios precários - Os amantes e Os animais,
Acrílica sobre papel 19,5 x 11 cm e 18 x 11 cm
Le Corbusier, 2014
Le Corbusier,
Bronze fundido, 180x4cm
Fachada-Dispositivo 14, 2014
Fachada-Dispositivo 14,
Monotipia-Madeira, plywood, vidro e serigrafia (díptico) - 2 x 100x60cm


Entre as exposições coletivas destacam-se as participações em Tarsila e Mulheres Modernas no Rio (2015) e Josephine Baker e Le Corbusier no Rio – um caso transatlântico (2014) ambas no Museu de Arte do Rio de Janeiro; Idea di Frattura – Opinione Latina / 2, Galleria Francesca Minini, Milão (2014); Amor e ódio à Lygia Clark, Zachęta National Gallery of Art, Varsóvia (2013); The right to the city, Stedelijk Museum Bureau Amsterdam (2013); O interior está no exterior, SESC Pompéia, São Paulo (2013); Bananas is my Business: The South American way, Museu Carmen Miranda, Rio de Janeiro (2011); Leibesübungen – Vom Tun und Lassen in der Kunst, Galerie der Hochschule für Bildende Künste, Braunschweig (2008); Bienal do Mercosul, Porto Alegre 2008.

Sua obra também integra importantes coleções, tais como Museu de Arte do Rio e Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Pinacoteca do Estado de São Paulo e Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.

Exposição relacionada

Exposição — É preciso ver no escuro

É preciso ver no escuro

Laercio Redondo

Na exposição “É preciso ver no escuro”, o artista Laercio Redondo retoma a questão da memória coletiva e seus apagamentos em quatro diferent...

Outros artistas